sábado, 25 de outubro de 2014

Crash: GT Tour - Paul Ricard

Chega a dar calafrios quando um carro roda e volta para a pista, no meio do pelotão... Por sorte os dois pilotos envolvidos escaparam ilesos, mas o susto foi tremendo.
A prova é válida pelo GT Tour, que realiza neste fim de semana a sua última etapa - de rodada dupla - em Paul Ricard.

Foto 406: Out

O passado da F1 já havia mostrado bem este cenário que está acontecendo atualmente na categoria. As confirmações das ausências de Caterham e Marussia, devido a problemas financeiros e outras situações nebulosas - como é o caso da Caterham -, mostram o quanto que estas equipes menores que entram na F1 precisam estar bem estruturadas - ou se aliar a uma grande montadora - para aguentar o tranco financeiro que a categoria oferece. Infelizmente a F1, já há um bom tempo, é um leão que necessita cada vez mais de dinheiro e quem acaba pagando o pato por isso são as equipes menores. Como diz o ditado popular, a corda arrebenta do lado mais fraco. 
Pelo jeito a "profecia" dita por Adam Parr em setembro, quando ele divulgou que a F1 teria apenas oito equipes em 2015, pode se concretizar.
Agora resta saber se a Sauber terá fôlego para continuar ano que vem... ou se as equipes terão que alinhar um terceiro carro.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Foto 405: Em linha

Mais uma daquelas fotos sensacionais da extinta 500cc. Acima pode-se ver um pelotão formado por Alex Crivillé (Repsol HRC-Honda NSR500) seguido por Mick Doohan, Carlos Checa (Movistar Pons-Honda NSR500), Nobuatsu Aoki (Rheos ELF FCC TSR-Honda NSR500) & Luca Cadalora (Red Bull WCM-Yamaha YZR500), durante o GP da Grã-Bretanha de 1997 disputado em Donington Park.
A prova foi vencida por Doohan, seguido por Tadayuki Okada e Alex Barros.

Vídeo: Bottas no FW18

Pensa num cara que divertiu hoje? Este foi Valtteri Bottas, que tomou posse do Williams FW18 Renault, campeão do mundo de 1996 com Damon Hill.
O evento foi organizado por um dos patrocinadores da Williams, e ainda contou com a presença de Felipe Massa, Felipe Nasr e David Coulthard - estes dois últimos pilotaram os modelos FW08 e FW08C, com direito a um "Cover" de Keke Rosberg feito por Coulthard.


Foto 404: Professeur

E hoje é o Dia do Professor. Nada mais justo que colocar a foto de Alain Prost, tido como "Le Professeur". E suas aulas de como administrar uma corrida e campeonatos, lhe valeram quatro mundiais. E podia ter sido muito mais...

terça-feira, 14 de outubro de 2014

WEC: 6 Horas de Fuji (Vídeo)


Foto 403: Na espera

Enquanto que o Mundial de Endurance vai entrando na sua fase final, um dos contendores que estará no próximo ano desafiando Audi, Toyota e Porsche, vai dando os últimos retoques antes de mandar o seu LMP1 para a pista.
Em nota feita hoje pelo site Endurance-Info, é de se esperar que o protótipo Nissan GT-R Nismo LM, de motor dianteiro, seja levado à pista em breve para testes na sede da fábrica em Stanfield, Arizona, onde o carro está sendo concebido no Nissan Technical Center América do Norte. A pista, que é usada para testes dos carros de produção da Nissan, compreende um oval de 9 km de extensão e mais quatro combinações de pista mista.
Sobre o motor, este será um V6 biturbo a gasolina e segundo as informações o propulsor tem tido boa performance no dinamômetro e este pode ser apresentado já em 30 de novembro, quando ocorrerá o Festival Nismo em Fuji. Já os pilotos ainda não existem confirmações, mas a tendência é que seja apresentados um por no decorrer dos meses. Sabe-se que nomes como o de Olivier Pla, Nick Heidfeld e Stéphane Sarrazin - este último dependerá muito de sua continuidade ou não na Toyota - estão cotados para compor o time. Não está descartado a presença de Jan Mardenborough, Lucas Ordoñez, Ronnie Quintarelli, Masataka Yanagida, Tsugio Matsuda e alguns outros nomes do Super GT. E ainda não se sabe que irão alinhar dois ou três carros para a temporada completa.
Além deste possível teste no Arizona, espera-se que o carro esteja nos testes de Sebring nos dias 9, 10 e 11 de dezembro. A sua apresentação acontecerá em 8 de dezembro.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Subida de Montanha: Audi Quattro S1

Nem preciso escrever muito. Apenas ouçam o berro alucinante do Audi Quattro durante a subida de montanha em Mickhausen, Alemanha.

Foto 402: Em casa

(Foto: John Rourke/AdrenalMidia.com)
Para quem acompanhou os primeiros minutos das 6 Horas de Fuji com uma batalha insana pela liderança, talvez imaginasse que Porsche e Audi jogariam água no saquê da Toyota em sua corrida caseira, principalmente após os falhanço dos japoneses nas duas últimas etapa, acabou vendo um passeio dos dois TS040 Hybrid em Fuji.
E essa facilidade se deu principalmente após os problemas com os Porsches, onde ambos tiveram problemas de energia e o número 20 tendo um pneu furado quando estava no encalço dos Toyotas. Mas com os contratempos relativamente resolvidos, puderam mostrar bom ritmo e assegurar a terceira e quarta colocações.
O mesmo não podemos dizer dos Audi que, fazendo uma corrida completa sem nenhuma nuance que pudesse modificar as ordens de força - como aconteceu em Le Mans e Austin -, mostraram um ritmo bem abaixo e fica claro que dependerão de provas bem doidas para superar a Toyota e agora sua conterrânea Porsche, que mostrou boa performance em Fuji. Ficaram em quinto e sexto.
Para a Toyota foi um certo alívio a vitória em Fuji. Além de ser uma obrigação vencer em seu circuito, serviu para a fábrica retomar a ponta no campeonato de marcas (183 pontos, contra 175 da Audi) e manter seus pilotos na frente do campeonato de pilotos (Buemi/Davidson 122 pontos; Lapierre 96; Lotterer/Tréluyer/Fassler 93).
Esta vitória massacrante da Toyota foi apenas a confirmação do ótimo carro que aprontaram para este ano.

domingo, 12 de outubro de 2014

GP da Rússia: Chatin

Ultimamente tem me despertado uma certa preguiça em acompanhar a F1 quando ela estréia uma nova pista. Na verdade as pistas feitas por Hermann Tilke são chatas em sua maioria, mas acredito também que para a corrida se tornar chamativa vai muito da atitude dos pilotos. Se arriscam mais nas manobras, facilmente tornará a prova legal. Mas temos que admitir que as equipes limitam um pouco as coisas ao alertarem seus pilotos para conservarem o equipamento. Talvez isso influencie bastante na hora de dividir uma freada com outro piloto.
A pista de Sochi me fez lembrar bastante o de Valência em várias seções do circuito. Incrivelmente a prova tornou-se igualmente modorrenta. Devido os comentários animadores dos pilotos, que elogiaram o traçado e o asfalto, era de se pensar que a prova fosse mais disputada. E o que se viu em algumas situações, foram alguns pelotões se formarem e não darem nenhum tipo de chance para ultrapassagem.
Sobre o campeonato, a corrida de Hamilton podia ter sido mais trabalhosa caso Rosberg tivesse se mantido à frente após a largada, mas a fritada de pneus fez com que o alemão escapasse e devolvesse a posição mais à frente para depois entrar nos boxes e realizar a sua única troca de pneus. Foi arriscado, afinal tinha que atacar os oponentes e ainda se preocupar com os pneus macios para não desgastá-los, mas funcionou e ele terminou em segundo.
As Williams, especialmente com Bottas, foram bem. Valtteri teve uma primeira parte de corrida muito boa acompanhando o ritmo de Lewis, mas o desgaste dos pneus acabaram tirando a chance de até mesmo conseguir a segunda colocação. Massa seguiu a mesma linha de estratégia de Rosberg e até metade da corrida estava no encalço de Rosberg. Mas encontrou Pérez pelo caminho e lá ficou até o fim, terminando em 11o.
As demais equipes fizeram o que puderam: a Mclaren fez a sua melhor apresentação no ano com a quarta posição de Button e quinta de Magnussen, confirmando um bom fim de semana que se desenhava desde a sexta. Red Bull e Ferrari lutaram entre si para ser a melhor dos carros sem motores Mercedes, e Fernando Alonso pôde dar este resultado à Ferrari ao manter-se à frente de Ricciardo nas últimas 13 voltas, terminando em sexto.
Foi uma boa prova dos Toro Rosso, pena que foram caindo pelas tabelas no decorrer da corrida. Mas mostraram boas performances com seus dous pilotos.
E para a Mercedes restou confirmar algo que era o seu título de construtores, o primeiro da marca na história da categoria. Um resultado sensacional para a equipe que completou 60 anos neste 2014 do seu retorno ao mundo dos Grand Prix.
Faltam três etapas, mas no andar da carruagem o título começa a pender para Hamilton neste momento.

sábado, 11 de outubro de 2014

WEC: Pole para a Toyota em Fuji

(Foto: Toyota Motorsport)
Sebastien Buemi já havia mostrado bem a sua velocidade nas provas anteriores pela Toyota. Isso ficou bem claro em Le Mans e recentemente em Austin, mas agora ele colocou essa velocidade crua para garantir uma pole position para o TS040 #8 de forma arrebatadora, tirando o doce da boca do Porsche 919 Hybrid #20 de Timo Benhard/ Mark Webber/ Brendon Hartley que eram os donos da posição a poucos minutos do fim.
A terceira colocação é do outro Porsche, conduzido por Romain Dumas/ Marc Lieb/ Neel Jani e quarta posição do trio do Toyota #8 formado por Alex Wurz/ Stéphane Sarrazin/ Kazuki Nakajima. De se destacar que os quatro primeiros ficaram separados por meio segundo. Já os Audis, com mais de um segundo de desvantagem para o pole, ficaram com a terceira fila: Marcel Fassler/ André Lotterer/ Benoit Tréluyer, com o #2 largam em quinto e a sexta é do trio Tom Kristensen/ Lucas Di Grassi/ Loic Duval com o #1.

O que esperar para a prova?
Mais uma vez esperamos por um duelo duro entre as três fábricas, ainda mais por conta da Toyota que perdeu as duas últimas corridas por problemas ou estratégia (como foi o caso em Austin). Correndo em casa, os japoneses irão ainda mais com sede ao pote.
Por outro lado vemos que a Porsche teve uma melhora em sua performance em Austin, e não fosse os problemas enfrentados pelo trio Dumas/Lieb/Jani poderiam muito bem ter enfrentado a Audi na busca pela vitória.
Enquanto as fichas vão sendo depositadas em sua maioria para a Toyota e um pouco para a Porsche, não podemos deixar de lado, em modo algum, a Audi. Com a sua típica atitude de atacar em conjunto os adversários, os alemães conquistaram as duas últimas corridas. As classificações tem sido sofridas, mas na corrida, que é onde importa realmente, eles tem feito um trabalho sólido e constante.