sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

F1 Pré-Temporada: Barcelona, Dia 6

Aquela curiosidade em ver o desempenho real da Mercedes que vinha desde os primeiros dias em Jerez, foi matada sem nenhuma surpresa por Nico Rosberg hoje em Montmeló: o piloto alemão, usando os pneus macios, aniquilou a marca feita por Felipe Massa ontem com extrema facilidade conseguindo sete décimos de avanço sobre o tempo alcançado pelo brasileiro. Se restava alguma dúvida sobre o poderio, ela começa a esvair-se...
Outro detalhe importante foi a sequência positiva da Mclaren, ao conseguir impressionantes 101 voltas sem grandes problemas. Foi uma jornada de ouro para o time que tem enfrentado inúmeros problemas e a marca feita por Jenson Button de 1'25''590 - utilizando pneus macios -, foi a melhor destes seis dias em Barcelona se contarmos os quatro da semana passada. Sua marca foi 0''251 pior que o tempo feito por Vettel, que ficou em quarto e que também utilizou pneus macios. Apesar de não sabermos qual o programa adotado por cada equipe nos testes, a marca acaba servindo de grande ânimo para os últimos dois dias de testes da Mclaren.
A outra novidade do dia foi a presença da Force India que, enfim, pôs o seu VJM08 na pista e com a condução de Nico Hulkenberg o time conseguiu até um bom número de voltas ao marcar 77 giros.
As equipes tiveram um dia muito bom em termos de voltas feitas: Mercedes, Sauber, Ferrari, Mclaren, Lotus e Toro Rosso alcançaram mais de 100 voltas, sendo que Vettel (143), Nasr(141), Maldonado (140) e Verstappen (139) foram os que mais andaram, priorizando, provavelmente, os long runs.  

Nico Rosberg: “Foi um dia difícil. Passamos o dia inteiro tentando melhorar e no final chegamos a um ponto em que o carro estava bastante bom. Mas perdemos tempo com essa dificuldade.
Hoje nos mostrou que somos rápidos, mas não sei como estão as outras equipes. Temos que esperar amanhã e depois de amanhã, esperar até o sábado de Melbourne. Temos uma equipe fantástica, mas temos que tomar cuidado porque os outros carros também são rápidos. Temos que continuar com pés no chão e trabalhando.
Hoje foi um dia muito difícil. O acerto não estava bom, e passamos o dia todo buscando a direção correta no acerto do carro, estava difícil entender para onde tínhamos que ir. O carro estava saindo demais de traseira. Foi o dia todo tentando encontrar a direção e no final acertei.
Demorou o dia inteiro para encontrarmos a direção correta porque estávamos bem distantes, e isso não é comum. No fim do dia, estávamos em um dia decente. E quando você coloca os pneus macios, tem muita aderência. Você não precisa do acerto perfeito para ser rápido. É só o acerto fino”.

Valtteri Bottas: Foi um bom dia para nós. De novo nós tivemos um dia completamente livre de problemas, o que é sempre bom. Nós fizemos mais algum trabalho de performance hoje, o que é bom. É bom fazer alguns short-runs e realmente tentar tirar um pouco mais do tempo de volta.
Me senti ok, mas estou um pouco surpreso com a velocidade da Mercedes. É difícil saber exatamente o quão à frente eles estão, mas eles estão na frente, então acho que é o time a ser batido.
Nós estamos realmente ansiosos por isso. Nós sabemos que podemos ser competitivos, mas ainda temos trabalho a fazer. Ainda temos dois dias de testes e ainda temos um plano bastante ativo. Nós estamos confiantes, estamos prontos para correr, mas tem coisas que ainda podemos melhorar e tomara que possamos resolver algumas dessas coisas nos próximos dois dias”.


Felipe Nasr: "O dia de hoje foi bastante produtivo porque pudemos completar todo o programa. De manhã, eu pude ter uma impressão melhor do carro durante os trechos mais curtos com os pneus macios e médios, e isso foi muito positivo.
Depois do almoço, fiz uma simulação de corrida com pneus diferentes. Foi uma experiência boa, e eu acho tenho um melhor entendimento do carro durante os 'long runs'. Estou também bem feliz com o equilíbrio do carro. Nós demos hoje outro passo adiante e temos de continuar nesta direção".

Sebastian Vettel: “Guiei mais do que dois GPs hoje, mas não sei se venci um, isso dependo do que os outros fizeram! Brincadeiras a parte, é bom que no último teste nós tenhamos feito mais e mais milhagem. Hoje nós não tivemos nenhum problema, nós sabemos que ainda temos muito trabalho para fazer como um time, mas, até aqui, me sinto muito bem. Se eu tivesse que apontar uma coisa, eu preferiria ser um pouco mais rápido, mas é difícil avaliar o quão rápido nós somos, porque algumas pessoas trabalharam mais em um esquema de classificação e eu fiz menos isso. Eu nunca guiei a Ferrari de 2014, mas acho que esta é um grande passo à frente. Isso não significa que nós estamos satisfeitos, uma vez que, se você quer vencer, você tem de bater a Mercedes. É empolgante ver o que está acontecendo atrás deles, o que acho que não é um julgamento claro com os tempos de volta que vimos até agora”.

Jenson Button: “Para muitos times, 100 voltas não é nada. Para nós, é como se fossem 1000 voltas. Há muito ainda para aprender sobre esse pacote técnico.
Foi um bom progresso. Não foi difícil melhorar em relação a ontem, na verdade, mas foi muito bom poder fazer 100 voltas. Foi um passo muito, muito grande hoje na confiabilidade, e é muito bom ver o quanto você pode fazer quando tem um carro confiável. Todos os testes que você pode fazer, as comparações, e não faz quando o carro para. Hoje nós fizemos!
Não fiz muito trabalho de acerto até agora, pois tem muitas voltas que você faz com peças aerodinâmicas que vão te dar muito tempo se você acerta para a primeira corrida, ao passo que o setup só vai te dar alguns décimos”. 

Pastor Maldonado: “Nós rodamos bastante com o carro hoje, o que foi um bom endosso do meu programa de treinos no inverno, já que eu ainda me sentia bem após 140 voltas. Nós fizemos muitas avaliações diferentes, então tive bastante coisa para pensar e foi bom fazer uma simulação de corrida, já que nós logo iremos para Melbourne. Temos muitas informações para digerir e mal posso esperar para voltar ao carro no domingo”.


Resultado - Testes de Pré-Temporada - Barcelona, dia 6

PosPilotoCarroTempoDifVoltas
1Nico RosbergMercedes1m22.792s-106
2Valtteri BottasWilliams/Mercedes1m23.995s1.203s90
3Felipe NasrSauber/Ferrari1m24.071s1.279s141
4Sebastian VettelFerrari1m25.339s2.547s143
5Jenson ButtonMcLaren/Honda1m25.590s2.798s101
6Pastor MaldonadoLotus/Mercedes1m26.705s3.913s140
7Max VerstappenToro Rosso/Renault1m26.766s3.974s139
8Daniil KvyatRed Bull/Renault1m26.965s4.173s84
9Nico HulkenbergForce India/Mercedes1m28.412s5.620s77

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

F1 Pré-Temporada: Barcelona, Dia 5

Dando continuidade aos testes, agora com a terceira bateria ainda em Barcelona, foi a vez da Williams mostrar força com Felipe Massa ao volante. O brasileiro anotou 1'23''500 utilizando pneus macios, três segundos melhor que a marca que fizera no terceiro dia da semana passada quando utilizava os mesmos compostos. Outro destaque vai para Marcus Ericsson que, utilizando os macios, alcançou a segunda colocação para a Sauber conseguindo o tempo de 1'24''276. Lewis Hamilton ficou com o terceiro tempo, 1''381 segundos atrás da marca de Massa.
O dia foi bem tranquilo para as equipes, exceptuando-se a Mclaren que deu apenas sete voltas e recolheu o carro - que estava sob o comando de Jenson Button - após um vazamento na parte hidráulica. Ao passo que a temporada se inicia, os problemas para a equipe de Ron Dennis só aumentam...
O maior número de voltas foi anotado por Ericsson que conseguiu 122 passagens. Descartando a Mclaren, a Mercedes foi quem deu menos giros ficando com apenas 48 voltas.

Felipe Massa: "O carro se comportou muito bem, e quando precisamos fazer uma volta rápida, o tempo foi bom. Acho que precisávamos provar que estamos na briga. Não sabemos o quanto em relação à Mercedes, mas em relação aos outros, estamos.
No acerto, nós experimentamos os pneus e mudamos algumas coisas no carro, e acho que foi positivo. Foi um bom dia para nós. Realmente não sabemos onde estamos em comparação à Mercedes — mas sei que eles têm um grande carro como o de 2014 —, mas estamos lá.
A consistência é algo que temos trabalhado muito para melhorar, e estou muito feliz, mas ainda é muito cedo. É muito cedo para saber, e quando todo mundo estiver com o mesmo combustível e os mesmos pneus é que vamos ter certeza de onde estamos.
Sei que as coisas podem mudar rapidamente neste mundo, e quando chegarmos à primeira corrida, talvez a gente não esteja onde esperamos. Mas até agora, estamos fazendo um ótimo trabalho e preparando o carro da melhor maneira possível”.



Marcus Ericsson: “Se você tivesse me perguntado nesta manhã, eu teria mais dúvidas, mas depois de um dia de testes como este, com muitas largadas, pit-stops, simulações de corrida e de classificação, você começa a se sentir preparado para a temporada começar. Tenho um dia a mais para me preparar, mas me sinto pronto para Melbourne.
Estão bons (sobre o carro da Sauber e o motor Ferrari), talvez até melhor do que esperávamos, então isso é muito positivo.
A temperatura da pista estava mais fria para o pneu duro, mas o médio estava funcionando bem. O carro estava consistente e peguei confiança, sabia o que esperar, e também fiquei feliz porque eu fui bem consistente com os meus tempos de volta.
Estamos apenas olhando para nós mesmos. Todos estão fazendo programas diferentes. Estamos nos esforçando para terminarmos a pré-temporada o mais preparados possível”.


Lewis Hamilton: “Esse tipo de coisa acontece. Estou correndo há 22 anos. Às vezes, você consegue andar muito, às vezes, não. Hoje eu estava bem animado, preparado para dar 200 voltas, mas deu 50 em vez disso. Mas 50 é melhor do que nada.
Há algumas coisinhas novas que são boas. O time está trabalhando duro para melhorar. O time tem sido incrível. A preparação é melhor que a que tivemos no ano passado. Aprendemos muito no ano passado. Este ano, ainda tem coisas que estamos aprendendo, melhorando. Estou bem animado”.

Daniil Kvyat: “Nós tivemos um dia mais ou menos decente. Nós fomos capazes de fazer bastante coisa e tomara que consigamos fazer mais amanhã. Estes últimos dias são realmente importantes em termos de entendermos onde estamos, entender o motor e o chassi, então é bom rodar o máximo possível. Me senti bem hoje. No entanto, sempre há espaço para melhora, então vamos brigar por isso”.


Romain Grosjean: “Nós testamos acertos diferentes hoje, então houve muitas voltas aos boxes para que coisas diferentes pudessem ser modificadas. O carro tem se mostrado confiável novamente, e nós tivemos bastante trabalho, mesmo que isso não se reflita em número de voltas. Mas tudo isso faz parte da aprendizagem. Estou ansioso para ver os progressos do carro amanhã e não vejo a hora de voltar a pilotar no sábado”.

Kimi Raikkonen: “Mesmo com alguns problemas, nós conseguimos tirar algumas lições hoje e tenho certeza que vamos resolver as falhas. O carro não estava tão ruim no geral, mas algumas áreas ainda precisavam melhorar, especialmente em condições mais complicadas que estamos experimentando agora e que fazem com que os pneus não trabalhem corretamente. Agora, nós temos mais um dia de testes e precisamos aprender o máximo que pudermos. Em poucos dias, em Melbourne, vamos descobrir onde realmente estamos”.


Resultado - Testes de Pré-Temporada - Barcelona, dia 5

PosPilotoCarroTempoDifVoltas
1Felipe MassaWilliams/Mercedes1m23.500s-103
2Marcus EricssonSauber/Ferrari1m24.276s0.776s122
3Lewis HamiltonMercedes1m24.881s1.381s48
4Daniil KvyatRed Bull/Renault1m25.947s2.447s75
5Romain GrosjeanLotus/Mercedes1m26.177s2.677s75
6Kimi RaikkonenFerrari1m26.327s2.827s80
7Carlos Sainz Jr.Toro Rosso/Renault1m26.962s3.462s86
8Jenson ButtonMcLaren/Honda1m31.479s7.979s7

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Foto 481: Gérard Ducarouge (1941-2015)

Infelizmente existem personagens das quais você sempre se pergunta o porquê de não ter conseguido chegar ao olimpo mais de uma vez. Talvez alguns percalços ou até mesmo o tal do "time" que não era perfeito.
Gérard Ducarouge foi um dos melhores projetistas da F1 moderna. Junto de Colin Chapman e Gordon Murray, formou um trio de grandes idéias que elevaram a tecnologia da categoria do final da década de 70 até o início dos 80 e após o desaparecimento de Chapman, juntou-se aos dois projetistas a genialidade de John Barnard.
De todo modo podemos dizer o quanto que os carros desenhados por Gérard eram belos. Como não olhar e se encantar pelas belas linhas dos Ligier JS5 (pós corcunda) até os elegantes JS11 e 15 das temporadas de 1979 e 80. Outros carros que também tinham a beleza marcante eram os Alfa Romeo do biênio 1982/83, equipe qual ele foi demitido após o GP francês de 1983 após a desclassificação de De Cesaris pelo fato do carro estar abaixo do peso.
No mesmo ano juntou-se à Lotus onde trabalhou forte na reestruturação da equipe e fez carros belíssimos e de bons desempenhos, como foram os casos dos modelos 95T (1984), 97T (1985), 98T (1986) e 99T (1987). Os três primeiros com motor Renault e o de 1987 com Honda. Foram nestes, à partir de 1985, que teve uma participação direta com Ayrton Senna que conquistou seis das sete vitórias de seus carros neste período. Aliás, quando Senna estava de saída da equipe, devido esta não lhe dar o melhor carro, Ducarouge escreveu uma carta ao piloto brasileiro em que "Pedia desculpas por, durante três anos, não ter conseguido dar a Senna um carro à altura de seu talento e antecipava que aquela frustração ele carregaria para o resto da vida.”. Uma parte do texto pode ser lida aqui na Autosport Portuguesa. Ducarouge continuou na Lotus até o final de 1988, quando saiu da equipe inglesa para ingressar na Larousse, onde ficou até 1990. Em 1991 ele aceitou o convite para ser Diretor Técnico da Ligier, até a sua retirada da F1 em 1994.
Senão conseguiu títulos naquele período de ouro da F1, a justiça tinha sido feito muito antes. Trabalhando na Matra desde os anos 60, onde ajudou a fábrica a melhorar consideravelmente os seus carros de F2 e F3, trabalhou no projeto do Matra MS80 Cosworth que venceu o mundial de 1969 da F1 com Jackie Stewart. Tempos depois, nos grandes anos da Matra em Sarthe, projetou os carros da fábrica francesa que arrebataram três vitórias seguidas em Le Mans de 1972 à 1974. Ele voltaria à trabalhar pela marca nos anos 90 como Diretor Internacional. 
A foto que encabeça o post, é do GP de Mônaco de 1985 em mais um click e Dale Kistemaker. Gérard Ducarouge faleceu hoje, ao 73 anos. 

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Foto 480: Hans Hermann, Mille Miglia 1954


As antigas provas de longa duração nos reserva boas histórias. Durante a edição de 1954 da Mille Miglia, Hans Hermann, em posse do Porsche 550 Spyder, estava a se aproximar de uma travessia ferroviária e o rapaz responsável em levantar e baiar a cancela, indicando a aproximação do trem, baixou esta tardiamente. 
Com o Porsche em alta velocidade e quase em cima da travessia, Hans teve apenas tempo para dar um tapa na parte de trás do capacete de seu navegador Herbert Linge para que este também baixasse a cabeça. Ambos baixaram a cabeça e passaram feito um raio por debaixo da cancela e segundos depois o trem, que tinha destino para Roma, passou pela travessia. Talvez Hermann e Linge não tivessem tido tempo para se impressionar com a manobra, mas os espectadores que viram a cena ficaram sem respirar por alguns segundos...
Depois do tremendo susto - acompanhado por uma grande "escapada" -, Hans e Herbert fecharam a Mille Miglia na sexta colocação no geral e em primeiro na classe destinada à carros de até 1.500 cc. A vitória no geral foi de Alberto Ascari, com o Lancia D24. 
E hoje é aniversário de Hans Hermann, que chega aos 87 anos.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

F1 Pré-Temporada: Barcelona, Dia 4

Quarto e último dia da segunda bateria de testes em Barcelona e de mais uma vez a Lotus cravou o melhor tempo, deste vez com Romain Grosjean. A sua volta foi alcançada com pneus supermacios, mas a segunda colocação de Nico Rosberg é que pode indicar o quanto que a Mercedes ainda tem lenha para queimar este ano. Rodando com médios, Nico cravou ótimos tempos numa sequência de seis voltas consecutivas. A sua marca, 1'24''321, foi melhor até que a pole de Hamilton no circuito espanhol em 2014.
O dia também foi marcado por sustos: o primeiro deles foi com Alonso, que escapou na curva três indo bater, sem grandes danos para o Mclaren, na parte interna do circuito. O mais estranho é que a sua saída de pista além de ter sido para o lado interno, foi com a velocidade baixa como relatou Sebastian Vettel que o seguia de perto. O piloto alemão disse que "foi estranho ele ir contra o muro sem reagir. A velocidade era baixa, cerca de 150 Km/H". Alonso foi levado ao centro médico do autódromo, pára depois ser transferido para o Hospital General da Catalunya. Apesar de não ter sido constatado nenhuma lesão, sele ficará em observação. Para a Mclaren, o acidente de Alonso significou o fim prematuro dos trabalhos.
O outro acidente foi de Carlos Sainz Jr., que escapou um pouco antes do local onde Alonso se acidentou mais cedo, mas sem nenhuma consequência ao piloto.
A Ferrari concentrou-se em trabalhar o acerto do carro com Sebastina Vettel, assim como a avaliação dos pneus. Felipe Nasr enfrentou problemas pela manhã e voltou à tarde, quando conseguiu a o quarto melhor tempo com pneus super macios.
Nico Rosberg e Valtteri Bottas foram os pilotos a dar o maior número de voltas hoje em Barcelona, com 129 e 127 respectivamente.
O testes, a última bateria, voltará à partir da próxima quinta até o domingo lá mesmo em Barcelona.

Romain Grosjean: “Foi ótimo guiar o E23 mais uma vez.Nós demos alguns passos à frente com o equilíbrio e o set-up ao longo do dia e me senti bem melhor depois que fizemos algumas mudanças a tarde.Nós completamos uma milhagem muito promissora e é sempre bom ver o seu nome no topo do monitor de tempos mesmo que ainda seja muito cedo para saber o que todos os outros estão fazendo”

Nico Rosberg: “Estamos olhando para tempos de outros dias, mas acho que estamos chegando lá. Sim, estamos confiantes e sinto que tenho um bom carro.Hoje foi um dia difícil, porque estava ventando muito e às vezes era bem difícil entender o comportamento do carro. Cada curva era diferente e mudava a cada vez em que se entrava na pista, então isso tornou o teste extremamente difícil. Ainda pude aprender algumas coisas. Não foi o melhor dos testes, mas, de qualquer forma, é um bom encerramento”

Daniil Kvyat: "Foi mais um bom dia para nós. Passamos pelo programa de forma tranquila e atingimos o número desejado de voltas. Aprendemos muita coisa que vai nos beneficiar no futuro, e é para isso que servem os testes.Estava ventando bastante na pista hoje, e estava bem difícil algumas vezes, mas nós completamos o programa. O tempo também não foi ruim. Os passos que estamos dando são encorajadores, há muito potencial"

Felipe Nasr: "Nunca é ideal ter o carro parado na garagem, especialmente num último dia de treino. Mas é melhor resolver esses problemas agora que num final de semana de corrida. Então preferimos aproveitar a parte da manhã com o carro parado para fazer uma revisão geral em tudo, e com isso tivemos uma tarde bem mais produtiva.Me deixou bem ocupado, num bom sentido, já que eu pude andar desde o começo até o final da tarde com diferentes programas, pneus e também fazer long-runs para ter a sensação do carro enquanto o pneu vai desgastando.O passo à frente nós demos, mas é difícil julgar o quanto os outros deram. Mas é um carro mais consistente, mais previsível e certamente melhor que em Jerez. Lá o desempenho nesses long-runs não foi tão bom quanto aqui.Eu me sinto mais em casa, mais à vontade, conhecendo melhor o carro, sabendo o que precisamos melhorar. Então, sim, me sinto melhor aqui que em Jerez".

Valtteri Bottas: “Nós completamos muitas voltas hoje, o que foi positivo, apesar de o nosso programa ter sido interrompido algumas vezes. O FW37 segue confiável, mas nós ainda temos um caminho para percorrer antes de estarmos no nível que queremos estar, embora estejamos dentro do cronograma. Os dois testes foram relativamente sem problemas e, por isso, iniciamos nossos preparativos para a Austrália, e estamos ansiosos para o último teste na semana que vem.”

Carlos Sainz Jr.: “O importante é que eu estou bem, mas foi um acidente forte na curva três.Hoje tinham ventos muito fortes e isso não facilitou a nossa vida. Ventos muito inconstantes, muito fortes, isso, com certeza, não é fácil para um piloto.Eu perdi o carro, não consegui corrigir, atingi o muro, danifiquei bastante o carro, mas essas coisas acontecem. Hoje foi a minha vez.Para ser honesto, estava sendo o melhor dia de teste até aquele ponto. Eu senti logo de manhã que era um carro completamente diferente, que eu era um piloto completamente diferente, com muito mais feeling na freada, um feeling muito melhor em todos os tipos de curvas.Até mesmo com os fortes ventos que tivemos nesta manhã, senti confiança com o carro e consegui forçar, consegui fazer alguns bons short-runs, e isso estava me dando muita confiança.Acho que hoje foi um dia muito importante para ganhar confiança. Obviamente, não foi o ideal finalizar o dia da forma como foi, eu estou irritado com isso, mas até aquele ponto foi um dia muito bom. Eu estava começando a ser eu mesmo, com muita confiança no carro”.


Resultado - Testes de Pré-Temporada - Barcelona, dia 4

PosPilotoCarroTempoDifVoltas
1Romain GrosjeanLotus/Mercedes1m24.067s-111
2Nico RosbergMercedes1m24.321s0.254s131
3Daniil KvyatRed Bull/Renault1m24.941s0.874s104
4Felipe NasrSauber/Ferrari1m24.956s0.889s73
5Valtteri BottasWilliams/Mercedes1m25.345s1.278s129
6Carlos Sainz Jr.Toro Rosso/Renault1m25.604s1.537s88
7Sebastian VettelFerrari1m26.312s2.245s76
8Nico HulkenbergForce India/Mercedes1m26.591s2.524s36
9Fernando AlonsoMcLaren/Honda1m27.956s3.889s20

sábado, 21 de fevereiro de 2015

F1 Pré-Temporada: Barcelona, Dia 3

Pastor Maldonado repetiu a dose do que fizera na quinta-feira ao marcar o melhor tempo e desbancou Max Verstappen da ponta da tabela de tempos na parte, já que o jovem holandês conseguira a melhor marca na parte da manhã. Ambos usaram pneus super macios para o feito. Quase dois segundos atrás, aparece Lewis Hamilton, seguido por Marcus Ericsson e Sebastian Vettel, que provocou uma bandeira vermelha assim que saíra para a sua primeira volta ao escapar na curva 4 e ficar encalhado na brita.
Foram poucos os contratempos tidos pelos pilotos, mas para Jenson Button foi mais um dia daqueles. Novamente o Mclaren Honda apresentou problemas no MGU-K (antigo KERS), deixando o inglês de fora da parte da manhã. Voltou à tarde, mas com a potência do MGU-K reduzida.
Na Williams, Massa treinou pela manhã enquanto que Bottas ficou encarregado da parte da tarde, onde trabalhou na simulação de pit-stops.
Max Verstappen foi o que mais deu voltas hoje, num total de 129. Mostrando o quanto que o Toro Rosso está em dia com sua durabilidade.
Pastor Maldonado: “O programa correu bem mesmo com a limitação da pista e a chuva indo e vindo. Foi positivo. Demos mais de 100 voltas e tentamos fazer uma simulação de corrida que parou por causa da chuva.O que impressiona no carro é a confiabilidade. O time fez um trabalho incrível na instalação e com as novas peças, tudo parece funcionar bem. E do ponto de vista da pilotagem, está parecendo bom. Não sei quão rápido em relação ao dos outros, mas certamente mais rápido que o nosso do ano passado, é fácil de ver.O supermacio não é tão bom nessa pista, mas com o pneu macio o tempo de volta [1min24s9] foi bom e encontramos um bom equilíbrio, o que é encorajador. Foi importante para nós passar por todos os pneus e entender como o carro reage a eles, mesmo que não sejam os mais corretos para cá. Tem que usá-los para milhagem e para experiência.O carro parece consistente. Não sei se rápido. O equilíbrio não era o melhor para os long-runs, mas hoje era muito importante dar muitas voltas para ver a performance do carro em long-runs e a confiabilidade, além de outras coisas que se pode aprender. Para o acerto, ainda há muito a fazer"

Max Verstappen: "Não posso reclamar. Tive um dia bem positivo e conseguimos facilmente completar todo o nosso programa. O carro está ajudando muito. Estou aprendendo a cada volta. Fizemos alguns long-runs também e isso vai ser útil para chegar a Melbourne.A unidade de força está OK. Ainda não estamos andando com potência máxima, e acho que as principais atualizações virão na próxima semana. Então temos que esperar.A parada no final não foi realmente um problema, paramos por segurança para garantir que nada aconteceria. A equipe me falou para parar.Ainda é difícil dizer, mas dá para dizer que a Mercedes está forte. A Ferrari parece bem. Mas você não sabe o que eles estão fazendo. Apenas foca em si mesmo, então acho que na próxima semana nós vamos ver mais."

Lewis Hamilton: “A cada ano parece que os testes ficam mais curtos. Hoje o tempo não estava bom, os pneus não funcionavam do jeito que conhecemos, então é difícil confiar nas mudanças que se faz no carro.Acho que é muito cedo para dizer, mas temos conseguido uma ótima quilometragem, e essa tem sido a intenção. Toda vez que venho para os testes, a mesma pergunta é feita, e é realmente difícil saber.Acho que vamos ter algumas impressões a mais na próxima semana, quando trouxerem as atualizações para a primeira corrida”

Marcus Ericsson: "Não foi um dia fácil para nós. Com o problema de ontem do câmbio, nós perdemos quase toda a sessão desta manhã. De tarde nós tivemos um pouco de dificuldade para entender o carro. Nós estávamos mudando coisas diferentes, mas não conseguíamos fazer o carro trabalhar do jeito como gostaríamos. Entretanto, nós conseguimos fazer algumas voltas, e isso é importante para aprender com esse tipo de dia. Nós vamos avaliar os dados e garantir que daremos um passo à frente nos próximos dias".

Sebastian Vettel: "Esta manhã eu estava dormindo um pouco e, saindo dos pits com pneus frios, eu rodei. O mínimo que eu podia fazer era ajudar os rapazes a tirarem o carro da brita! Depois nós trabalhamos principalmente na confiabilidade, fazendo um bom número de voltas. Nós estamos conseguindo rodar sem muitos problemas, mas é realmente duro dizer onde estamos em comparação com os outros. Nós precisamos trabalhar um dia após o outro para tentar entender o nosso carro. No geral, Kimi e eu estamos satisfeitos, mas ainda há muito a ser feito. As condições hoje foram difíceis para todos, já que o frio deixou a pista bem escorregadia. Foi bom ver o nosso presidente na garagem e estou feliz por ele estar trazendo seu apoio."

Daniil Kvyat: "Nós aprendemos bastante hoje. Foi ótimo continuar o total de ontem do Daniel fazendo muitas voltas de novo hoje. Este tipo de consistência é muito útil para nós e muito encorajador. É difícil saber onde estamos e é muito cedo para fazer qualquer tipo de previsão, apesar de estarmos nos aproximando da primeira corrida. Nós apenas estamos executando o trabalho, tornando o carro melhor a cada dia e dias tão produtivos como o de hoje são muito importantes."


Resultado - Testes de Pré-Temporada - Barcelona, dia 3

PosPilotoCarroTempoDifVoltas
1Pastor MaldonadoLotus/Mercedes1m24.348s - 104
2Max VerstappenToro Rosso/Renault1m24.739s 0.391s 129
3Lewis HamiltonMercedes1m26.076s 1.728s 101
4Marcus EricssonSauber/Ferrari1m26.340s 1.992s 53
5Sebastian VettelFerrari1m26.407s 2.059s 105
6Daniil KvyatRed Bull/Renault1m26.589s 2.241s 112
7Felipe MassaWilliams/Mercedes1m26.912s 2.564s 55
8Pascal WehrleinForce India/Mercedes1m27.333s 2.985s 81
9Valtteri BottasWilliams/Mercedes1m27.556s 3.208s 49
10Jenson ButtonMcLaren/Honda1m29.151s 4.803s 24